Sobre as responsabilidades da escrita

Todo autor deveria escrever seus livros como se fosse ser decapitado no dia em que o terminasse.

— Scott Fitzgerald, Este Lado do Paraíso (pág. 310, ed. Cosac Naify, 2013)

  1. levar (algo) ao conhecimento do público;
  2. reproduzir (obra escrita) por meio de impressão ou outro meio; dar à luz, editar;
  3. fazer imprimir e pôr à venda ou distribuir gratuitamente (trabalho escrito, desenho, gravura, pintura etc.)

1. A responsabilidade com o público.

Nenhum filme pode ser feito sem a compreensão das reações e antecipações do público. Você deve moldar seu filme de maneira que ele tanto expresse sua visão quanto satisfaça os desejos do público. O público é uma força tão determinante para a criação da estória quanto qualquer outro elemento. Pois sem ele, o ato criativo não tem sentido.

— Robert McKee, Story — Substância, estrutura, estilo e os princípios da escrita de roteiro (pág. 21, ed. Arte & Letra, 2013)

2. A responsabilidade com as pessoas.

Os autores costumam dizer coisas das quais não se dão conta; apenas depois da reação de seus leitores é que eles descobrem o que haviam dito.

— Umberto Eco, Confissões de um jovem romancista (pág. 45, ed. Cosac Naify, 2013)

3. A responsabilidade com a informação.

Aprendi algumas coisas enquanto escrevia meu primeiro romance. Primeiro, que ‘inspiração’ é uma palavra ruim que autores manhosos usam a fim de parecerem artisticamente respeitáveis. Conforme o velho adágio, a genialidade é composta de dez por cento de inspiração e noventa por cento de transpiração. (…)

— Umberto Eco, Confissões de um jovem romancista (págs. 13, ed. Cosac Naify, 2013).

4. Responsabilidade sobre as responsabilidades.

Em geral, estudantes e estudiosos de todos os tipos e de qualquer idade têm em mira apenas a informação, não a instrução. Sua honra é baseada no fato de terem informações sobre tudo, sobre todas as pedras, ou plantas, ou batalhas, ou experiências, sobre o resumo ou o conjunto de todos os livros. Não ocorre a eles que a informação é um mero meio para a instrução, tendo pouco ou nenhum valor por si mesma (…)

— Schopenhauer, A Arte de Escrever (pág. 20, ed. L&PM, 2019)

--

--

KYRAN // Escritor Pessimista & Revisor Pedante — http://memorialaddress.org

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store